Um grupo de amigos sobe em uma casa na árvore. Nela, há um botão que os leva para um universo paralelo, onde têm uma missão: impedir que um terrível vilão faça com que os humanos se esqueçam dos seus sonhos e passem a ter apenas pesadelos. Esta é a história de O Menino e a Casa na Árvore – Entre Sonhos e Pesadelos, livro escrito por Samuel Erthan Robinson, 9 anos, de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul.

Antes da pandemia, o estudante, que é fã de livros literários e enciclopédias infantis, já mantinha o hábito de escrever histórias, mas não as compartilhava. Então, veio o isolamento social. “Comecei a escrever em março. No início, seria só mais uma das minhas historinhas. Mas aí eu comecei a pensar que poderia se tornar um livro para as outras pessoas lerem”, contou Samuel ao Joca.

samuel_escritor-edicao-154
#pracegover: Samuel usa camiseta preta e segura um livro aberto. Ele sorri para a foto. Ao fundo, uma estante com livros. Foto: arquivo pessoal

Para levar o projeto em frente, em maio, a família de Samuel criou uma vaquinha on-line (em que pessoas fazem doação via internet) para arrecadar dinheiro e pagar pela publicação. Levou 14 dias para arrecadar o suficiente e poder mandar a história para uma editora. O lançamento acontece ainda em agosto — a obra será vendida pela internet. Todas as pessoas que contribuíram com a vaquinha vão receber um exemplar.

capa-livro-samuel-edicao-154
#pracegover: a foto mostra a capa do livro O Menino e a Casa na Árvore – Entre Sonhos e Pesadelos. Ela traz árvore com uma casa na árvore e um garoto, ilustrados. Foto: divulgação

Criatividade na pandemia
Veja outras iniciativas de jovens que têm aproveitado o tempo em casa

  • Dylan, 12 anos, e a mãe dele, Michele Smith, moram nos Estados Unidos e criaram The Quarantine Cookbook (em português, O Livro de
    Receitas da Quarentena
    ). A obra, disponível para compra pela internet, traz receitas que podem ser feitas por crianças e adultos.
  • Nicholas B., 6 anos, também dos EUA, aproveitou o período para criar aviões de brinquedo e vendê-los para outras crianças. Parte do dinheiro arrecadado é doada para uma organização que ajuda pais com filhos prematuros (bebês que nasceram antes dos nove meses de gravidez).

Fontes: Amazon, Forbes e WKRG-TV

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 154 do jornal Joca.

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (1)

  • Lorrany bispo correia

    1 ano atrás

    Amei esses comentários e o livro do menino

Compartilhar por email