Governo do Canadá, indígenas e madeireiros vão proteger mais de 30 mil km2 de florestas onde vivem os ursos-espírito

Um urso-e
Urso-espírito na Great Bear Rainforest, no Canadá (Foto: Jon Rawlinson/Wikimedia)

Em uma cerimônia com a presença de povos indígenas e empresários, o governo do Canadá anunciou um acordo para proteger a Floresta do Grande Urso (The Great Bear Rainforest).

O acordo foi um esforço gigantesco e levou mais de dez anos para ser assinado pois precisava do envolvimento do governo, de empresas madeireiras da região, ambientalistas e de cerca de 20 povos indígenas diferentes, os chamados First Nations (Primeiras Nações).

O acordo também discutiu a disputa de terras entre as madeireiras e os índios.

Ambientalistas consideram o acordo um “presente para o mundo”.

No acordo, as empresas estão proibidas de explorar madeira em 85% da floresta dos ursos. São 30 mil quilômetros quadrados protegidos, uma área do tamanho do Estado de Alagoas. A região é importante para a fauna e flora e sagrada para os povos indígenas.

Na floresta restante (cerca de 5 mil quilômetros quadrados, ou o equivalente à área do Distrito Federal), as madeireiras poderão operar, seguindo regras de extração de madeira.

O acordo vai evitar a emissão de gases de efeito estufa por desmatamento, protegerá a maior área de floresta temperada contínua no mundo, e manterá intacto o habitat de espécies como o urso-espírito, uma subespécie do urso negro que só existe no Canadá.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email