#PraCegoVer: A imagem mostra uma abelha, de forma muito aproximada pela câmera fotográfica, em cima de uma folha verde com o fundo desfocado. Crédito da imagem: Pxhere.

Não são só os humanos que são vacinados. Pesquisadores da Universidade de Helsinque, na Finlândia, estão desenvolvendo uma vacina para abelhas que terá como objetivo combater doenças e ajudar a aumentar a população desses animais, que vem caindo muito nos últimos anos.

A vacina não envolve seringas, e sim um tipo de líquido açucarado que atrai os insetos. Quando a abelha-rainha ingere o líquido, as bactérias que estão nele são transportadas para os óvulos (células reprodutivas do animal), fazendo com que as próximas abelhas a nascer desenvolvam mecanismos para combater aquela bactéria. Como a abelha-rainha é a responsável pela geração de todos os indivíduos de uma colmeia, toda a população estará protegida de determinadas doenças que afetam a sobrevivência desses animais.

“[Além das doenças,] as abelhas têm que lidar com muitos problemas, como pesticidas e perda do habitat. E as doenças também afetam a qualidade de vida delas. Se pudermos ajudá-las a ficar mais saudáveis e salvar ainda que uma parte pequena da população, acho que teremos colaborado para salvar o mundo, mesmo que só um pouco”, afirma a pesquisadora Dalial Freitak.

Por que as abelhas são importantes?
Sem elas, não teríamos muitas das frutas e vegetais que consumimos hoje. Isso porque as abelhas são responsáveis pela polinização, processo de transporte do pólen de uma planta para outra. Estima-se que 85% das espécies de plantas selvagens dependam da polinização para se desenvolver.

Fontes: El País, Galileu, National Geographic, The New York Times, Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário e Universidade de Helsinque.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 125 do jornal Joca.

Enquete

Quais são os assuntos que você mais gosta de ouvir nos podcasts do Joca (Revisteen e Papo Joca)?

Comentários (0)

Compartilhar por email