Em visita ao Bahrein, o Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, pediu ao Irã ajuda para encerrar guerras na Síria e no Iêmen.

Foto: US State Department Photo

O secretário de Estado americano, John Kerry, pediu ao Irã para ajudar a colocar fim às guerras do Iêmen e Síria, onde Teerã e seus adversários árabes apoiam as partes confrontadas.

Foto: US State Department Photo

Kerry conheceu as instalações militares e conversou com generais, coronéis e soldados.

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

A guerra civil na Síria provocou pelo menos 300 mil mortes e 11 milhões de deslocados. As partes em conflito — Exército sírio e seus aliados russos, iranianos e libaneses (Hezbollah), de um lado, e os grupos rebeldes não qualificados como terroristas (oposição laica, islamita e curda) — estão guerreando há tempos contra o exército do presidente Bashir al-Assad.

Foto: US State Department Photo

Interromper o conflito é muito importante pois nos últimos meses, o caos no país aumentou e o medo é que a guerra civil vire um conflito maior, com o envolvimento de potências mundiais e de vários países do Oriente Médio.

Foto: US State Department Photo

Os rebeldes sírios, apoiados por Estados Unidos, Turquia, Arábia Saudita e Catar, lutam contra forças curdas, aliadas tanto da Rússia quanto dos Estados Unidos, e contra o Estado Islâmico.

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Foto: US State Department Photo

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email