No Brasil, o ensino da letra cursiva está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) desde os primeiros anos da educação infantil. Crédito de imagem: Getty Images

Desde o dia 1º de janeiro de 2024, passou a valer na Califórnia, Estados Unidos, uma lei que obriga o ensino da letra cursiva (conhecida no Brasil como “letra de mão”) para alunos do ensino fundamental. Em 2010, a aprendizagem do tipo de caligrafia foi retirada da matriz curricular obrigatória dos Estados Unidos.  

Debate sobre letra cursiva já foi matéria de capa no jornal Joca

Agora, a letra cursiva volta a ser indispensável para alunos de 6 a 12 anos, após um projeto de Sharon Quirk-Silva, deputada estadual da Califórnia (Partido Democrata) e ex-professora do ensino fundamental. A lei estadual 446 foi sancionada ainda em outubro de 2023 e, em 2024, passa a valer oficialmente. Segundo a deputada, o desenvolvimento da caligrafia estava sendo deixado de lado no estado, mesmo que alguns professores ainda continuassem a ensiná-la em sala de aula. 

Especialistas e educadores apontam que a aprendizagem da caligrafia cursiva é considerada crucial para o desenvolvimento cognitivo infantil, além de possibilitar a comunicação entre crianças com antigos escritos, como cartas familiares e documentos históricos.

Crédito de imagem: Getty Images

Qual a importância de aprender letra cursiva?

De acordo com o estudo científico “Comunicação cérebro-texto de alto desempenho via escrita à mão”, publicado, em 2021, na revista britânica Nature, a memória dos movimentos feitos para escrever com letra cursiva são capazes de despertar diferentes comandos cerebrais relacionados à comunicação.

Além disso, a escrita pode estar associada a um tipo de expressão pessoal, uma vez que cada um desenvolverá os próprios traços e estilos de caligrafia. Para os educadores, essa também é uma característica importante, que desenvolve a criatividade e inovação. 

No Brasil, por exemplo, o ensino da letra cursiva está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) desde os primeiros anos da educação infantil. Um dos fatores que afastou a caligrafia cursiva das escolas, principalmente nos Estados Unidos, é o uso mais intenso de aparelhos tecnológicos como notebooks e tablets; com a possibilidade de digitar e cada vez menos incentivo para escrever com papel e caneta, os alunos começaram a ter menos contato com a caligrafia.

Uma das saídas para o equilíbrio entre o meio digital e a caligrafia é a manutenção da escrita cursiva em aparelhos como tablets que permitem essa interação. Agora, com a nova lei, a Califórnia se junta a outros 21 estados dos EUA que instituíram legalmente o ensino da letra cursiva no ensino fundamental.

Glossário: 

Desenvolvimento cognitivo: na infância, o desenvolvimento cognitivo ocorre quando a criança memoriza habilidades, movimentos e informações, associando-os às suas determinadas funções e significados. Diferentes atividades educativas e de socialização são responsáveis por construir e estimular o desenvolvimento cognitivo, área de estudo da neurociência e psicologia.

Fontes: Folha de S.Paulo, Folha de S.Paulo, CNN, NatureReuters.

Enquete

Sobre qual assunto você gosta mais de ler no portal do Joca?

Comentários (2)

  • Julianna Franco

    1 semana atrás

    Olá, gostei de ler sobre as novas leis que têm a ver com as escolas, mas gostaria de saber se você tem mais alguma informação sobre os regulamentos para que os estudantes entendam por que isso é necessário e não uma coisa ruim para forçar as crianças. Obrigada. - ADA MERRITT K-8 CENTER

  • Felipe Sali

    1 semana atrás

    Oi, Julianna. Tudo bom? O objetivo da nova lei não é forçar as crianças a fazer algo ruim, mas sim porque os especialistas acreditam que o ensino da letra cursiva ajuda a criança a se desenvolver melhor. Até a próxima! :)

Compartilhar por email

error: Contéudo Protegido