#pracegover: Na fotografia aparece uma criança nativa norte-americana em um gramado com roupa colorida, mas a cor rosa se destaca. Atrás dela tem uma tenda branca. Crédito de imagem: Pxhere/Getty Images.

A Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu 2019 como Ano Internacional dos Idiomas Indígenas. O objetivo da iniciativa é promover e proteger as línguas indígenas e melhorar a vida dos falantes. “Elas são um rico item da diversidade cultural global. Sem esses idiomas, o mundo seria um lugar mais pobre”, diz o site oficial da celebração.

A ideia de estabelecer um ano dedicado a esse tema surgiu em 2016, quando o Fórum Permanente Sobre Questões Indígenas mostrou que 40% das cerca de 6.700 línguas indígenas existentes no mundo corriam risco de desaparecer. Para a ONU, isso é preocupante, pois os idiomas são partes essenciais das culturas indígenas, que existem há milhares de anos e, hoje, estão ameaçadas.

#PraCegoVer: Nativo de Pisac vestindo uma roupa colorida. Ao fundo, um muro de pedras. Crédito de imagem: Pxhere/Getty Images.

No Brasil, o número de línguas indígenas que correm risco de desaparecer chega a 190, como mostra o Atlas Interativo das Línguas em Perigo da Unesco. Nele, é possível ver a região do país em que determinado idioma é predominante e o grau do risco de extinção (vulnerável, definitivamente ameaçada, severamente ameaçada, criticamente ameaçada e extinta). Por abrigar a maior parte das nações indígenas, a Amazônia é a área do país com o maior número de línguas em perigo.

Como as línguas indígenas são classificadas?

Situação atual Definição
Saudável Falada por todas as gerações, sem interrupções.
Vulnerável A maioria das crianças fala o idioma, mas apenas em algumas das regiões habitadas pela nação indígena.
Definitivamente ameaçada As crianças não aprendem mais a língua-mãe em casa.
Severamente ameaçada O idioma é falado pelas gerações mais velhas; pessoas que hoje são pais ou mães o entendem, mas não o utilizam para falar com os filhos ou entre eles.
Criticamente ameaçada Os falantes mais novos são as gerações mais velhas, que falam o idioma raramente.
Extinta Não há mais nenhum falante.

*Inspirada na tabela da Unesco.

#PraCegoVer: A fotografia mostra o xamã do povo Guarani de perfil vestindo uma camiseta azul com um cocar na cabeça segurando um chocalho marrom. Crédito de imagem: Pxhere/Getty Images.


Dia da Luta dos Povos Indígenas
No dia 7 de fevereiro, comemorou-se o Dia Nacional de Luta dos Povos Indígenas. A data, que marca as iniciativas para preservar a cultura e terras indígenas, é uma homenagem a um membro da nação guarani que, em 1756, morreu lutando por suas terras, localizadas em São Gabriel, no Rio Grande do Sul. Na época, elas haviam sido invadidas por espanhóis.

Hoje, o Brasil tem 896,9 mil indígenas, segundo dados de 2010 (quando o último levantamento foi feito) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estima-se que cerca de 5 milhões de indígenas viviam no Brasil quando os portugueses chegaram, em 1500.

#PraCegoVer: Na fotografia, uma mulher nativa do povo Guajajara sentada em uma cadeira azul segurando seu filho no colo. Crédito de imagem: Pxhere/Getty Images.


Acesse o Atlas Interativo das Línguas em Perigo da Unesco: bit.ly/linguasindigenas

Fontes: Guia do Estudante, ONU e Unesco.

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 125 do jornal Joca.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email