Em 2016, 8.356.215 candidatos se inscreveram para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Porém, de todos os inscritos, 30% faltaram. Então, neste ano, 5.848.619 fizeram a prova e 768 foram eliminados por chegarem atrasados ou por não cumprirem regras que exigem, por exemplo, uso de caneta transparente ou atraso.

No quarto ano do Enem, o exame foi aplicado em 1.607 locais espalhados pelo país.

Esse exame é importante porque a nota da prova é usada como critério de seleção em diversas faculdades públicas.

A prova voltará a ser feita nos dias 3 e 4 de dezembro para os estudantes que estavam inscritos para fazer o exame nas 405 escolas que estão ocupadas por alunos que protestam contra a proposta de reforma do ensino médio.

O Ministério da Educação disse que para aplicar novamente a prova nessas escolas que estavam ocupadas, terá que gastar mais R$ 15 milhões. O governo terá que reutilizar 78 toneladas de papel que deixaram de ser aproveitados neste fim de semana.

REDAÇÃO

O tema da redação do Enem 2016, “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”, foi elogiado por líderes de diversas religiões que acharam que o assunto é um passo importante para combater o preconceito religioso.

O xeque Jihad Hammadh, líder da comunidade islâmica no Brasil declarou que o assunto é atual e adequado e lembrou que a intolerância religiosa cresce no mundo todo.

Dom Pedro Luiz Stringhini, da Igreja Católica, disse que é dever do Estado respeitar as religiões.


Enem é a sigla de Exame Nacional do Ensino Médio, uma prova que foi criada pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) para testar o nível de aprendizado dos alunos que concluíram o ensino médio no Brasil.

Os resultados dos alunos são analisados pelo governo, para que seja possível melhorar as políticas públicas de educação, além de servir como um bom boletim de desempenho individual.

Essa prova seleciona estudantes de todo o país para estudarem nas instituições federais de ensino superior e para programas do governo federal, como o Sisu, Prouni e Fies. Esses programas facilitam a vida de quem sempre sonhou em estudar em universidade pública ou precisa daquela força do governo para pagar a mensalidade da universidade particular.

Com a nota da prova você pode entrar em universidades federais, bolsas parciais ou integrais em universidades particulares, estudar no exterior e muito mais!


 

 

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email