Na cidade é comum usar máscaras para evitar respirar o ar poluído. Foto: Kiszon Pascal/Getty Images
Na cidade é comum o uso de máscaras para não respirar ar poluído. Foto: Kiszon Pascal/Getty Images

O governo da Tailândia ordenou, no dia 30 de janeiro, que 437 escolas da cidade de Bangcoc, capital do país, tivessem as aulas suspensas por causa da poluição do ar. A paralisação, que durou até 2 de fevereiro, teve como objetivo diminuir o efeito dos gases tóxicos nas crianças. Além disso, a medida evitou que alguns carros (veículos poluidores) circulassem pelas ruas por alguns dias.

Bangcoc está coberta por um nevoeiro tóxico, por isso, entrou temporariamente para a lista das dez cidades mais poluídas do mundo. A falta de ventos na região e a estação seca (que vai de outubro a abril) pioram a situação.

Autoridades tailandesas, que estão sendo muito criticadas por não conseguirem solucionar o problema, atribuem a poluição à razões como intenso tráfego de veículos na cidade, operação industrial e incêndios provocados pela atividade agrícola.

O governo chegou a usar aviões para lançar produtos químicos nas nuvens, tentando fazer com que chovesse, mas isso quase não teve efeito. Agora, drones vão espalhar líquidos que capturam as partículas de poluição do ar.

O que as crianças de Bangcoc pensam sobre isso:

“Quando soubemos que a escola ficaria fechada por dois dias, começaram a circular burburinhos pela sala sobre não ter que fazer prova no dia seguinte ou não ter que entregar lição de casa. Mas, conforme o choque da notícia inicial passou, eu e minha sala começamos a entender o que isso significava e, honestamente, foi assustador. Ficamos frustrados, vemos as mudanças no clima há muito tempo e sentimos os efeitos, mas só agora estão sendo tomadas atitudes. Com as escolas fechando, percebi que ainda tenho esperanças de salvar nosso planeta, mas não vai ser fácil. Se cada um fizer 1% a mais a cada dia a partir de hoje, podemos fazer mudanças positivas no mundo”, Rebecca L., de Bangcoc 

“Nunca achei que algum dia eu estaria numa situação em que respirar causaria tantos prejuízos. O ar parece mais ‘pesado’, minha garganta dói. O governo fechou escolas por dois dias, incluindo a minha. Por enquanto, os níveis de poluição começaram a cair. Todo mundo está fazendo seu melhor”, Marlena W., 16 anos, de Bangcoc

 

“Eu recebi a notícia que a escola ia fechar durante a última aula do dia. Fiquei devastado, ainda mais depois de descobrir que o show da escola, que estava marcado para acontecer naquela noite, tinha sido cancelado. As pessoas de Bangcoc tinham diferentes opiniões sobre a poluição. Minha mãe fica observando com medo o índice de poluição subindo e mantém sempre as portas e janelas fechadas. Por outro lado, há também meu pai, que inocentemente sugeriu que nossa família começasse o fim de semana jantando em um restaurante ao ar livre no meio da cidade. A sugestão não foi bem recebida pela minha mãe”, Palis P., 17 anos, de Bangcoc

Esta reportagem foi originalmente publicada em versão reduzida na edição 125 do jornal Joca.

Enquete

Qual é o acontecimento mais esperado de 2020?

Comentários (3)

  • Isabela Finotti Kemper

    9 meses atrás

    OSSHHH que fena ;c Estou preocupada ;-c mas a minha pergunta é alguem ficou sem ar ou seja alguem teve que ir ao hospital por causa d ar??

  • Luana Beatriz de Medeiros

    11 meses atrás

    não e verdade Joca?

  • Luana Beatriz de Medeiros

    11 meses atrás

    que pena que essa cidade ficou desse jeito. se todos fise sem sua parte tenho certeza que vai da certo

Compartilhar por email