Se você já se deparou com o desafio de ensinar matemática para seu filho e não soube por onde começar, não se preocupe, pois estamos aqui para ajudá-la!

Considerada um bicho de sete cabeças para muitas crianças e adolescentes, a matemática é uma disciplina essencial para a formação escolar. Não tem como fugir, pois ela está presente em todas as séries da vida acadêmica e também no dia a dia.

E então, pronta para conhecer nossas dicas e começar hoje mesmo a ensinar matemática para seu filho? Vamos lá!

1. Ajude-o a aprender brincando

A maneira mais eficaz de fazer com que as crianças aprendam matemática é torná-la divertida. Afinal, as crianças têm mais facilidade de prestar atenção no que é agradável para elas.

Se a matemática for apresentada com fórmulas gigantes e difíceis de aprender, a criança criará um bloqueio que pode durar a vida inteira.

A boa notícia é que existem diversos brinquedos e jogos que estimulam os pequenos a desenvolver o raciocínio lógico e a lidar com números e operações matemáticas. Veja abaixo:

Jogos de tabuleiro

Quem nunca brincou com jogos de tabuleiro na infância? Talvez você não saiba, mas eles são ótimos para ensinar matemática às crianças. Um grande exemplo é o Banco Imobiliário. Apesar de ser indicado para idades mais avançadas, é perfeito para simular operações e desenvolver o raciocínio lógico.

Além dele, podemos citar o jogo de damas, o xadrez e o jogo da velha. Eles ensinam lógica e dão às crianças noções de espaço, geometria, contagem e sequência.

E, não podendo ficar de fora, os jogos de labirinto e cavernas com tesouro escondido, que podem ser encontrados em computadores e celulares.

Blocos de construção

Não importa se os blocos são de papelão, de madeira ou de plástico. Brincar com eles estimula as crianças a construir e organizar estruturas de forma lógica e coerente. Isso exige, além de matemática básica, habilidades de geometria e, até mesmo, engenharia.

Batalha Naval

Jogos como esse ensinam as primeiras noções de sequência, estratégia, contagem, lógica, direções e coordenadas. Esses conceitos são muito importantes no estudo da geometria e, se absorvidos desde cedo, serão ótimos aliados no futuro.

Quebra-cabeças

Amado por crianças e adultos de todas as idades, os quebra-cabeças também são aliados da matemática. É que, por meio deles, são trabalhadas noções de raciocínio espacial, sequência e ordenação de peças. Outros são mais complexos e elaborados, e ensinam noções de formas e tamanhos.

2. Não faça ele temer a matemática

O mito de que todo mundo deve ter medo da matemática influencia negativamente as crianças. Por isso, ensine, desde cedo, que se trata de uma matéria como todas as outras e que merece a mesma dedicação.

O problema é quando o medo vem da própria família e os pais passam esse sentimento para os filhos. A dica aqui é fazê-los compreender que, hoje em dia, estudar matemática é muito mais tranquilo e até divertido – diferente do passado, quando a matéria se resumia a decorebas e fórmulas ensinadas por uma perspectiva mais complexa. O importante é que a criança entenda que não deve ter medo da disciplina. E os pais também não.

3. Conte histórias infantis com conceitos de matemática

Qual a criança que não gosta de histórias, não é mesmo? Use isso a favor da matemática. Existem histórias infantis que ajudam os pequenos a enxergar a matéria de uma forma mais leve, e não com o estigma social que ela tem.

É muito importante que os pais se envolvam na dramatização das histórias, criando cenários e fazendo com que os filhos participem do enredo. Por meio desses contos, as crianças são estimuladas a lidar com medidas de tempo, quantidade e espaço, sem sequer perceberem que estão estudando.

4. Deixe que ele participe das tarefas de casa

Você sabia que é possível ensinar matemática até mesmo ajudando nas tarefas de casa? Ir ao supermercado com seu filho, por exemplo, oferece muitas oportunidades de trabalhar com números e operações.

Na seção de frutas e verduras, ele pode aprender sobre pesos e medidas, fazendo comparações diversas, como:

– O que pesa mais: cinco batatas ou dois limões?

– Quantas laranjas são necessárias para formar um quilo?

– Quanto gastamos até agora?

Outra forma de aprender conceitos matemáticos no dia a dia é, dependendo da idade da criança, oferecendo uma mesada e ensinando a usar o cofrinho. Você pode explicar que, a cada semana, a mesada aumenta determinado valor e, então, fazê-lo calcular quanto haverá no cofrinho ao final do mês.

5. Permita o uso da tecnologia

As crianças da nova geração são diferentes da geração dos seus pais. Sendo assim, nada mais óbvio que adequar o ensino à realidade em que ela nasceu. Hoje em dia, elas já nascem conectadas com o mundo digital. Dessa forma, por que não aproveitar a tecnologia também para ensinar matemática?

Computadores, tablets, celulares e outros eletrônicos contribuem para o raciocínio lógico, principalmente por meio de jogos e aplicativos. Mas, fica o alerta: o uso deve ser moderado para que a criança não perca o foco de outras atividades. O ideal é, sempre que possível, acompanhar o uso e, quem sabe, utilizar junto com ele.

6. Permita que ele resolva da sua própria maneira

Cada criança tem seu ritmo e forma de aprendizado. É importante que você permita que ela exercite a capacidade de resolver os exercícios sozinha. Essa é a melhor maneira de ajudá-la com os problemas de matemática.

É comum que a reação dela seja de rejeição. Nesses casos, é fundamental que os pais conversem com os professores para, juntos, tentarem encontrar uma forma de incentivar essa criança a enfrentar os desafios.

O importante é usar a criatividade e mostrar aos pequenos que a matemática não precisa ser chata. Que dá para aprender brincando, afinal, não faltam jogos e aplicativos sobre o tema. É papel dos pais quebrar o mito de que a matemática é esse bicho de sete cabeças e, com essas dicas, com certeza ficará mais fácil.

O que você achou deste post? Ele tirou suas dúvidas sobre como ensinar matemática para seu filho? Divida sua opinião com a gente nos comentários!

Enquete

Como você está participando dos 10 anos do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email