Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e Sarampo. Foto: Marcelo Camargo/Abr

Os casos globais de sarampo cresceram 300% neste ano, segundo relatório divulgado em abril pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Foram registrados mais de 112 mil casos da doença, em 170 países, nos três primeiros meses do ano. No mesmo período de 2018, o número foi quatro vezes menor: 28 mil casos.

As nações que atualmente registram surtos estão concentradas na África, no Oriente Médio e na Ásia. Mesmo países em que a cobertura de vacinação é abrangente, como Estados Unidos, Tunísia e Israel, estão registrando altas da doença. Segundo a OMS, a explicação é que o sarampo, evitável por meio de duas doses de vacina, espalhou-se rapidamente entre pessoas não vacinadas.

Nos últimos anos, o nível de vacinação contra sarampo em todo o mundo foi de 85%, menor do que os 95% necessários para evitar surtos. Para a segunda dose, a taxa foi ainda mais baixa: 67%.

Brasil
Em março, o Brasil perdeu o certificado de erradicação de sarampo. O documento comprovava que o país estava livre da doença desde 2016. A perda do título aconteceu depois da confirmação de mais um caso dentro do território brasileiro, no Pará.

Em 2018, o país viveu um surto da doença: foram registrados mais de 10 mil casos no Amazonas e em Roraima.

O que é o sarampo?
É uma doença altamente contagiosa — ou seja, que se espalha rapidamente — porque as pessoas transmitem o vírus do sarampo pelo ar. Pode provocar graves infecções respiratórias, como pneumonia, perda da visão e audição. O sarampo é uma das principais causas de morte infantil no mundo.

Por que os casos da doença aumentaram?
Nas partes do mundo onde a doença foi eliminada é comum que as pessoas parem de se preocupar e deixem de se vacinar. A pessoa que viaja sem imunização a lugares em que essa enfermidade ainda circula pode levar o vírus consigo e voltar a espalhá-lo onde ele havia desaparecido.

Vacina contra o sarampo é preparada para aplicação. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Como reverter essa situação?
Aumentando o acesso à vacina onde as pessoas não estão se vacinando tanto, com mais horários de funcionamento das unidades de saúde e vacinação feitas em outros lugares, como escolas. O governo e outras instituições também devem informar a sociedade sobre a importância da vacinação.

Qual é a importância da vacina?
A vacina dá ao corpo a capacidade de se proteger contra doenças, impedindo que elas entrem no organismo. Além de se proteger, uma pessoa vacinada protege outras que não se vacinaram. Muitas doenças graves comuns no Brasil, como varíola e poliomielite, foram eliminadas pela alta aplicação de vacinas na população.

Como se vacinar contra o sarampo
Menos de 5 anos: o ideal é tomar duas doses da vacina. A primeira aos 12 meses (vacina tríplice viral) e a segunda, aos 15 meses (vacina tetra viral).
Entre 5 anos e 29 anos, sem ter se vacinado antes: duas doses (tríplice).
Entre 30 anos e 50 anos, sem ter se vacinado antes: uma dose (tríplice viral).
Mais de 50 anos: não precisa tomar.

Atenção!
– Quem tomou as duas doses não precisa tomar de novo.
– Quem não se lembra se foi vacinado pode tomar as duas doses, com intervalo de um mês entre elas.
– Os únicos que não podem ser vacinados são gestantes, pessoas com suspeita de sarampo, menores de seis meses e quem tem problemas imunológicos (quando o sistema de combate a doenças não funciona bem).
– A vacina está disponível o ano todo nos postos de saúde.

Especialista consultado: Claudio Maierovitch, pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Brasília.

Fontes: ONU, G1 e UOL

Enquete

O que você está mais curtindo fazer durante o período em casa, por causa do novo coronavírus?

Comentários (7)

  • MARIA HELENA PEREIRA DA SILVA JOSELINA PEREIRA DA SILVA

    10 meses atrás

    que triste

  • South Hills Middle School

    10 meses atrás

    wow

  • Beatriz Gomes de Moura

    10 meses atrás

    muito grava,pois muitas pessoas podem sofrer

  • Tatiana

    10 meses atrás

    Que bom saber que já está tentando diminuir a quantidade de pessoas com sarampo

  • Henrique Benedito

    10 meses atrás

    SEGUNDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

  • LAVÍNIA ALVES SANTOS

    11 meses atrás

    Muito triste

  • Henrique Benedito

    10 meses atrás

    ;-;

Compartilhar por email