Doze cães da Marinha, treinados para encontrar e capturar suspeitos e explosivos, serão usados para reforçar a segurança nas Olimpíadas Rio 2016.

Os animais estão recebendo um grande treinamento para atuar durante os jogos olímpicos.

O pastor alemão Scar é um dos animais treinados para buscar suspeitos. Já a cadela Berete e o cachorro Bruno, são especialistas em encontrar explosivos, pois eles têm um faro treinado para encontrar um cheiro que já conhecem bem.

Os animais fazem treinamento no Complexo Naval da Ilha das Flores, em São Gonçalo, São Paulo.

“Na verdade, pra eles, é tudo uma brincadeira. Mostramos um objeto que queremos que ele encontre e depois fingimos esconder esse objeto. Ali dentro já tem o cheiro do que queremos que ele encontre”, diz o sargento Roberto Gonçalves, que faz o treinamento.

Os cachorros ganham recompensas e também adquirem uma grande amizade com seus treinadores.

Eles são considerados soldados e cumprem atividades específicas, mas não fazem só exercícios. Como parte do treinamento eles também têm momentos de lazer, assim não ficam estressados.

Durante um dia inteiro, eles podem brincar, se distrair, sair, conhecer outras pessoas e outros cachorros.

Para monitorarem a saúde dos animais, eles passam por três consultas semanais com médicos veterinários.

Tomam remédios para vermifugação contra parasitas, como as pulgas e os carrapatos, escovam dentes e passam por exames para checarem como estão seus olhos.

 

Enquete

Como você está participando dos 10 anos do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email