Países europeus que pareciam ter controlado o novo coronavírus estão voltando a registrar alta de casos. A situação preocupa a Organização Mundial da Saúde (OMS), que fala em uma segunda onda da pandemia. “Os novos casos semanais na Europa já superam os registrados durante o primeiro pico da doença”, afirmou Hans Kluge, diretor regional da OMS para o continente europeu, em 19 de setembro. Para conter o aumento, há novas medidas de restrição. Confira a situação em alguns países.

Reino Unido
Em 25 de setembro, foram 6.874 contaminações e, no dia seguinte, 6.634, um recorde de novos casos. Até então, o pior mês havia sido abril, com mais de 5 mil casos diários por cinco dias seguidos. Em 22 de setembro, o primeiro-ministro, Boris Johnson, anunciou novas restrições, incluindo o fechamento de bares e restaurantes às 22h.

França
Um pico de 16 mil novos casos em 24 horas ocorreu em setembro, o mais alto número desde o início da pandemia. Há fechamento de bares e restaurantes em algumas cidades e é obrigatório usar máscara ao ar livre e em ambientes fechados. O ano letivo foi suspenso em cerca de 80 escolas (de um total de 60 mil). Isso acontece quando três ou mais estudantes da mesma turma testam positivo para a doença.

Mercado de rua em Marselha, na França, em 30 de setembro: bares e restaurantes da cidade devem ficar fechados por duas semanas, de acordo com medida anunciada pelo governo no dia 23# | pracegover: a foto mostra bancas de frutas e pessoas fazendo compras. Elas usam máscaras. Foto: Jeremy Suyker/Getty Images

Espanha
Teve 14 mil novos casos em um único dia em setembro — mais do que o pico de 9 mil em março. O governo de Madri, a capital, impôs restrições para a entrada e saída de pessoas em bairros mais pobres e mais populosos. Centenas de pessoas foram às ruas protestar contra as medidas, consideradas discriminatórias contra parte da população, que inclui imigrantes.

Alemanha
Uma alta diária de mais de 2 mil casos foi registrada no fim de setembro, mas ainda está distante do pico de março (6 mil casos em um dia). A chanceler Angela Merkel declarou que, se o ritmo atual continuar, os casos podem subir para 19 mil por dia até o Natal. Para conter o vírus, ela limitou o número de pessoas em eventos públicos a 50 participantes.

Portugal
A semana de 14 a 20 de setembro foi a terceira pior em número de infecções desde o começo da pandemia: 4.594 casos no total. O governo diminuiu o número máximo de pessoas permitidas em grupos, de 20 para dez. Em restaurantes a até 300 metros de escolas há limite de quatro pessoas por mesa.

Correspondente internacional

“Precisamos voltar ao normal, mas isso fica difícil quando muitos não se importam com o fato de ainda estarmos no meio de uma pandemia. Muitos cidadãos do Reino Unido se esqueceram da necessidade de usar máscara e da importância do distanciamento.” Mia N., 15 anos, Londres, Inglaterra

Leia mais depoimentos de correspondentes internacionais: jornaljoca.com.br

Fontes: BBC, DW, Estadão, Folha de S.Paulo, InfoMoney, IstoÉ, G1, Público e UOL.

Matéria originalmente publicada na edição 158 do jornal Joca.

Enquete

Há quanto tempo você é leitor do Joca?

Comentários (0)

Compartilhar por email