Hoje, 20 de junho, é Dia do Refugiado.

O mundo enfrenta a pior crise migratória da história e, segundo a Anistia Internacional e a Comissão Europeia, há mais de 65,5 milhões de pessoas nessa situação, que fugiram da guerras, dos conflitos ou da fome em seus países.

O problema não afeta apenas as milhares de pessoas que tentam fugir da Síria ou da África e do Oriente Médio para a Europa e Brasil. Afeta todos nós, pois os refugiados precisam de ajuda em todos os cantos do planeta.

E para lembrar a data e incentivar as pessoas a ajudarem, o Conare (Comitê Nacional para os Refugiados), órgão do Ministério da Justiça, divulgou alguns números sobre os pedidos de refúgio no país.

Brasil recebe cada vez mais refugiados | Instituto Adus

Apesar da crise política e econômica, o Brasil é o país da América Latina que tem recebido maior número de refugiados desde o início do ano.

Entre 1º de janeiro e 31 de maio de 2017, o país recebeu 10.507 pedidos de refúgio, 199 a mais do que os 10.308 registrados durante todo o ano passado.

Venezuelanos pedem emprego | Roraima em Tempo

O principal motivo para esse aumento é a crise na Venezuela, que vive à beira de uma guerra civil e a população não tem acesso a suprimentos básicos como alimentos e remédios.

Em 2016, 3.3.75 venezuelanos pediram abrigo no Brasil. Este ano, em apenas cinco meses, o número subiu para 8.231.

No ano passado, os venezuelanos representavam o terceiro maior número de solicitações de refúgio no Brasil, com 4.421, atrás de angolanos (4.719) e senegaleses (7.656). Os sírios apareciam na quarta posição, com 3.794.

A Venezuela possui fronteira com os estados de Roraima e Amazonas, o que facilita a entrada no Brasil.

Segundo as Nações Unidas, refugiado é alguém que “temendo ser perseguido por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social ou política, encontra-se fora do país de sua nacionalidade e não pode ou, em virtude desse temor, não quer valer-se da proteção dessa nação”.

COMO AJUDAR

Agência da ONU para refugiados

O doador pode escolher entre doações pré-selecionadas ou optar por um valor próprio
O doador pode escolher entre doações pré-selecionadas ou optar por um valor próprio Foto: Reprodução/ACNUR

Pelo site da agência é possível fazer doações. A pessoa pode escolher fazer um pagamento mensal ou uma doação única. Há algumas opções disponíveis de valor, mas o doador pode escolher quanto quer doar. A ajuda pode ser feita aqui e o pagamento é feito no cartão de crédito. As doações ajudam na comida, água, abrigo, assistência médica e proteção às famílias necessitadas.

Os Capacetes Brancos (White Helmets)

As doações são feitas pelo site dos 'Capacetes Brancos'
As doações são feitas pelo site dos ‘Capacetes Brancos’ Foto: Reprodução

Os Capacetes Brancos são um grupo humanitário local que vêm ajudando no resgate de vítimas do conflito na Síria. Segundo informações da organização, mais de 70 mil pessoas já foram salvas pelo grupo. A contribuição de doadores ajuda na compra de materiais e equipamentos para os resgates. As doações, feitas em libra esterlina ou dólar, são feitas diretamente pelo site da ONG.

Médicos Sem Fronteiras

Exemplos de algumas doações possíveis à instituição
Exemplos de algumas doações possíveis à instituição Foto: Reprodução

Uma das maiores organizações humanitárias do mundo, os Médicos Sem Fronteira também atuam na Síria, oferecendo assistência médica com remédios e equipamentos, além de assistência psicológica e tratamento nutricional. Em campos de refugiados, a organização ajuda, por exemplo, no parte de mulheres grávidas e na vacinação de crianças. Para ajudar as equipes de salvamento é possível fazer doações únicas ou mensais, no valor de preferência do doador. O pagamento também é feito via cartão de crédito. Uma doação de R$ 120, por exemplo, corresponde à 438 sachês para reidratação oral de pacientes.O doador também pode optar por fazer a doação em tributo a alguém. Confira todas as formas de ajudar.

Flores para refugiados

Os arranjos produzidos pela adolescente e a mãe, Kety
Os arranjos produzidos pela adolescente e a mãe, Kety Foto: Reprodução/Facebook

O projeto, criado por uma adolescente brasileira, tem o objetivo de reverter o valor da venda de arranjos de flores para financiar o trabalho voluntário com refugiados de guerra. Com a ajuda da mãe, a paulista Gabriela Shapazian vende as flores em garrafas customizadas. O valor das vendas financia as viagens para os campos, onde a jovem recebe os refugiados, oferece apoio emocional e ajuda na alimentação deles. Atualmente, Gabriela está no campo de Pikpa, em Lesvos, na Grécia. Para ajudar o projeto, entre com contato pela página oficial.

UNICEF

Site da Unicef
Site da Unicef Foto: Reprodução

Desde o início da crise no país, em 2011, o UNICEF intensificou os trabalhos na Síria e em países onde os refugiados pedem abrigo. A instituição atua em diversos países. Para doar, basta acessar o site e escolher o valor.

Comitê Internacional de Resgate (International Rescue Committee)

As doações são feitas de forma mensal ou única
As doações são feitas de forma mensal ou única Foto: Reprodução

As doações para o Comitê são feitas em Euro ou Dólar. A instituição auxilia na retirada de pessoas de zonas de conflito por mundo, incluindo na Síria. As doações ajudam desde a compra de kits de higiene até a construção de latrinas para ajudar na prevenção de doenças nos campos e a compra de alimentos especiais para crianças em estado de subnutrição. Para ajudar a instituição, acesse o site.

Save The Children

Save the Children
Save the Children Foto: Reprodução

A organização atua na Síria e em outros países que são rota de fuga ou destino final de refugiados. As equipes oferecem apoio emocional às famílias, além de alimentos, água e roupas. As doações podem ser feitas pelo site ou pelo telefone, disponível na página.

Cáritas

Cáritas
Cáritas Foto: Reprodução

Há anos a Cáritas atua no acolhimento de refugiados no Brasil. A organização pertence à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e é ligada a uma rede internacional de assistência. A entidade tem o objetivo de auxiliar o refugiado no momento de sua chegada até a reestruturação da vida familiar. Para isso, são oferecidos cursos de português gratuito, encaminhamento profissional, recreação infantil para as crianças, além de moradia, transporte e alimentação por três meses. No Rio de Janeiro e em São Paulo, as doações são feitas por meio de depósito bancário.

Cruz Vermelha

Cruz Vermelha
Cruz Vermelha Foto: Reprodução

Somente em 2016, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha levou água potável a mais de 16 milhões de pessoas, alimentos a 2,6 milhões e utensílios domésticos básicos a outras 500 mil pessoas na Síria. Além dos primeiros socorros prestados às vítimas dos bombardeios, a Cruz Vermelha fornece assistência básica à saúde aos refugiados. As doações podem ser feitas em real, diretamente pelo site.

Instituto de Reintegração do Refugiado – ADUS

O instituto recebe refugiados e auxilia na inserção no mercado de trabalho brasileiro
O instituto recebe refugiados e auxilia na inserção no mercado de trabalho brasileiro Foto: Reprodução

O instituto realiza diversas ações para refugiados, como as aulas de português, bazares e curso de qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho. Para ajudar, há o trabalho de voluntariado, além das doações de bens para serem vendidos nos bazares. Veja no site.

 FONTE: ONU E EXTRA

Enquete

Pelo o que você mais está esperando em 2022?

Comentários (0)

Compartilhar por email